00:00:00

30 de março de 2011

Deputado questiona se Jean Wyllys é "ativo ou passivo"



Deputado questiona se Jean Wyllys é
Jean Wyllys vai lutar contra Jair Bolsonaro, que não parece estar preocupado com a possibilidade de ser punido.

Mesmo tendo seu cargo no Congresso Nacional ameaçado, Jair Bolsonaro continua causando polêmica na imprensa. O deputado concedeu uma entrevista ao jornalista Gabriel Castro, da revista Veja, nesta terça-feira (29). Na conversa, Bolsonaro explicou que não é racista, mas continuou reforçando seus pontos de vista preconceituosos.

"Aceito meu filho ter relacionamento com qualquer mulher, menos com uma com o comportamento da Preta Gil. Pelo que eu já vi em jornais aí, ela já foi tudo. Quem é o pai dela? Gilberto Gil. Aquele que vive dando bitoquinha em macho por aí. Um ministro de estado dando bitoquinha em macho!", disparou.

O jornalista questionou ao parlamentar se ele tem medo de ser punido após as declarações preconceituosas ditas no programa "CQC", da Band, no início da madrugada. Bolsonaro afirmou que está entrando com uma representação no Conselho de Ética para poder se explicar.

"Vou deixar que um deputado homossexual, não sei se é ativo ou passivo, queira crescer em cima de mim?", disse.

Castro perguntou se o parlamentar se referia a Jean Wyllys, único deputado homossexual assumido no Congresso, que lidera um movimento contra Bolsonaro.

"Não sei. Eu falei um deputado homossexual. Não sei se é ativo, passivo ou joga nas duas", respondeu.

Ao tomar conhecimento das declarações, Jean publicou em seu microblog mensagens afirmando que vai continuar na luta contra o parlamentar.

"Não adianta ao deputado vociferar e, sem me citar, questionar meus desejos sexuais. Não adianta desviar o foco, recrudescendo a homofobia. O deputado cometeu crime de racismo, e responderá por isso, goste ou não. Apelar para a homofobia odiosa agora é desespero covarde. O deputado só apela para a homofobia porque sabe que esta não é crime (ainda!)", declarou Jean